Dancing Brasil #8

Olá, passageiros! Essa semana foi tudo diferente no Dancing Brasil, né?! Rolou um mix entre os pares da competição, que deu uma chacoalhada no programa e que subiu o nível da maioria dos participantes. Teve até jurado sendo substituído. Adriana Garambone ocupou a cadeira de Jaime Arôxa, que teve algum compromisso profissional e não pode reclamar da falta de Jive em nenhum casal. Até porque não teve.

Garambone também cumpriu a cota botox que tinha se perdido na semana passada com a eliminação – AMÉM – da Tânia Alves. Quer dizer, Garambone praticamente a Ana Furtado da RecordTV.

Ah, e como cogitamos aqui na semana passada, não teve eliminação. Então, os pontos que cada participante fez nessa segunda vão acumular com os da semana que vem. Os três casais que tiverem a menor pontuação, vão para a zona de risco.

Geral
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Bom, chega de falatório que eu, @paypervitu, o @luguicosta e o @luizcmorais vamos analisar as danças do programa que teve como tema a Troca de Duplas.

Mika e Dani (Hip Hop)

Captura de Tela 2017-05-24 às 02.25.09
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu: Achei fraca coreograficamente. Mika mais uma vez veio dando aquele migué, fingindo que dança. Faltou muita precisão nos passos, uma vez que Hip Hop exige que os movimentos sejam muito consistentes e não deve ser suavizado. São movimentos brutos e fluidos.

O break e o footwork não foram bem feitos. Faltou sincronia também. O casal parecia estar em tempos diferentes e quando foi de encontro ao resto dos bailarinos ficou evidente, inclusive o erro na coreografia. Esse foi um casal que com a troca não rolou. Nota 6

Lugui: Se eu fosse Mika, estaria bem nervoso porque pela primeira vez ele foi dançar de verdade nesse programa, já que nas outras semanas todas ele foi só apoio pra bailarina aparecer. Ele já é familiarizado com o hip hop então foi menos traumático, mas saudades de quando eles só mexia os bracinhos de bonecão do posto.

Mika e Dani tavam sem sincronia, parecia que cada um tava dançando uma música diferente e nenhuma dessas músicas era a que tava tocando. A Dani fez a miga sua loka que misturou vodka com energético na balada e o Mika só queria sensualizar pra menina bêbada até se pegarem. Os movimento de break foram ruins, sem contar que Mika incorporou a Jade Barbosa e começou a saltar. Foi tudo ruim? Não, tiveram bons momentos de execução, quando ambos acertaram foi ótimo, e teve aquela hora ótima que foi quando acabou. Nota: 7

Luiz: A apresentação começou com um teatrinho de luta e eu lutei muito pra conseguir gostar dessa dança. Acho que não teve uma liga entre o conceito, o ritmo, a música, a postura, a coreografia… Mesmo sendo um ritmo urbano, a postura do Mika foi muito aquém do esperado, tudo era muito largado, jogado e pareceu desleixo, mesmo não sendo. A música não era das melhores e a coreografia foi boa, mas só pra Dani. Eu só conseguia olhar pra ela. Faltou sincronia entre eles e eu quase tive uma crise de riso com o Mika tentando fazer aquele passo no chão e todo travado. Gente, parecia eu tentando dançar. Nota 7

Jade e Paulo Victor (Jazz)

Jade
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu: Paulo transformou a Jade numa dançarina em apenas uma semana de ensaio. A coreografia foi linda, envolvente, intensa e a Jade conseguiu expor o que tem de melhor na dança. Eu diria mais, o Paulo conseguiu extrair o que ela tem de melhor.

Uma Jade alongada, com movimentos precisos, certeiros e sincronizados, os contratempos certinhos, acima de tudo o casal teve química e sintonia durante toda a dança. A postura dela estava mais elevada e as finalizações certas. O link entre os passos com fluidez e essa dança, que é difícil foi apresentada de forma leve para o público. Ah, e ela dançou descalça, o que pode complicar muito.

Esse foi um casal que combinou nessa troca e que eu gostaria muito que continuasse junto até o fim da competição. Paulo Victor se consagrou como o excelente coreógrafo/bailarino que vinha mostrando ser e subiu o nível da Jade.  Nota 10

Lugui: Um coreógrafo é um coreógrafo, não é mesmo? Se eu fosse a Jade estaria implorando pra não destrocar mais as duplas, vale a pena até a vergonha de aturar o Paulo Victor fazendo cosplay de Marcos Pasquim depilado nos ensaios.

Jade foi outra participante, mas sem deixar de ser ela mesma, simplesmente porque Paulo Victor usou tudo que Jade tem de melhor a seu favor: a flexibilidade, facilidade pros lifts e giros, extensões e finalizações, colocando a ginasta à serviço da bailarina. Foi uma das melhores apresentações da edição! Eu só mandaria amarrar o megahair da Jade pra tirar o cabelo da cara e mostrar mais a interpretação. Nota 10

Luiz: Vamos começar dizendo que isso, internacionalmente, é dança contemporânea e será julgada dessa forma (levando em consideração que os dois são quase um estilo livre, ou seja, mesma coisa). Essa dança me surpreendeu TANTO. Nunca a Jade esteve tão bem, os lifts foram impecáveis, tanto na entrada, quanto na saída. A cara de choro dela foi ótima para entrar no clima intimista da dança.

Agora eu só posso pedir pro Paulo Victor pisar menos! QUE COREOGRAFIA! Fiquei encantado com tamanha qualidade no Dancing Brasil! Vida longa a esse profissional e ao programa com gratas surpresas assim ❤ E eu adoraria ter visto essa coreografia com a menina Maytê. Nota 10

Bianca e Marcelo (Hip Hop)

Bianca
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu: Bianca aos pouquinhos tá voltando. Boa a coreografia do Marcelo, mas com erros da Bianca no começo e falta de sincronia em alguns momentos. Pecou também em algumas finalizações, mas melhorou muito a dança em relação às duas últimas semanas.

A coreografia teve muitos elementos e precisava de um pouco mais de ensaio para ficar perfeitamente executada. O Hip Hop não é tão simples quanto parece. Precisa de muita atitude, precisa de alongamento, tem que ter precisão, passos bem marcados. Algumas vezes eu vi. Outras não. Nota 7

Lugui: Colocar a Bianca pra dançar Formation é tipo colocar Sérgio Marone pra ser apresentador, não tem nada a ver. Mas o que tinha menos a ver era o Marcelo, com roupa de amante latino sendo bem aleatório e canastrão a dança toda! Se fosse um solo da Bianca teria sido melhor, porque ela voltou a recuperar a forma e foi muito bem, sendo ótima nos contratempos e na velocidade do ritmo.

Acho que a personagem de Val Marchiori do gueto que ela inventou só a prejudicou, porque a deixou com uma postura muito elegante que não se encaixou nos movimentos de hip hop. Gostei e espero que seja melhor ainda semana que vem, quando ela voltar pro Tutu que não se presta a copiar coreografia de clipe. Nota 8

Luiz: Preciso só começar problematizar um pouco: a música exalta a cultura negra e me colocam Bianca Rinaldi, praticamente da raça ariana, com dreads dançando isso. Eles tavam pedindo por textões no Facebook.

Entrando na dança: Bianca se garantiu, teve a postura que eu procurava no Mika, com os músculos mais contraídos. Realmente pareceu mais com hip hop, a coreografia do Marcelo foi boa, explorou toda a pista, foi aéreo, foi no chão e acho que essa deva ser a especialidade dele e por isso é tão ruim nos ballrooms.

Bianca me surpreendeu com a atitude e a entrega pra dança, não deixou a desejar das outras dançarinas e segurou a onda. Na verdade, ela dançando sem o Marcelo foi a melhor parte da dança. Nota 8

Maytê e Teo (Street Jazz)

Mayte
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu:  Foi uma dança sem graça. Sem muitos elementos coreográficos, foi muito básico pra Maytê. Entretanto, mesmo fazendo o básico Maytê foi bem fraca. Acho que a troca de parceiros a deixou insegura e ela fez uma dança bem lenta, o que implicou na sincronia com o Teo que parecia estar dançando um ritmo muito mais acelerado. Faltaram passos de Street Jazz também.

E se antes a gente esperava (ou achava) pra ver a apresentação da Maytê, nessa semana, percebi que esperamos (pelo menos eu) pra ver o que o Paulo Victor vai trazer ao palco. Maytê tava fora do ritmo, tava sem vontade, sem empolgação… E cometeu o mesmo erro das últimas apresentações: não acompanha o ritmo do partner. O Teo não é muito criativo nas coreografias, isso também ficou evidente na apresentação. Nota 6

Obs.: logo no início, uma bailarina errou… A Bella, que era técnica do Gui.

Lugui: Sabe quando o valentão da escola faz uma brincadeira com você e você cai na pilha? Essa foi a Maytê essa semana. A troca de casais claramente tinha como maior alvo o casal Patê (Paulo e Maytê) e ela não fez a menor questão de esconder que tava bem puta! Não julgo, imagina tirarem seu ship, pegar o pior professor e ainda entregar uma nota máxima pra adversária? No meio desse boicote, Maytê veio como a Tânia Alves da balada gay, fazendo poses, desfile e carão de diva na pista de dança.

A coitada se esforçou e foi bem dentro do que deu pra fazer, ficando nítido que a coreografia tava aquém da capacidade dela e só desandou quando Maytê e Téo foram dançar juntos: a Maytê não se permitiu a ter uma conexão com Téo e esse momento foi um erro só. Apenas volta logo pra Maytê, Paulo! Nota 7

Luiz: A requebrada da Maytê no começo me fez pensar que seria uma dança pra passar 3 dias gritando só de lembrar. Porém não foi tanto assim. Temos muita expectativa com ela por tudo que já foi performado e essa semana deixou a desejar.

Maytê sempre tem muita energia e dança pra fora, pro público, ela cresce na pista e nessa dança foi mais contida, não alongou os movimentos e dançou mais pro Téo. Discordo da Fernanda que disse que ela não teve contato visual com o Téo, acho que foi tudo uma sedução pra um carinha na balada e dessa forma a dança teve um sucesso, mas infelizmente isso é um programa de TV e não uma festa. Outra coisa, alguém mais viu a professora do MC Gui errar a coreografia na escada? Nota 8

Sheila e Tutu (Contemporâneo)

Sheila
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu: Linda a coreografia e de uma excelente qualidade! Foi uma dança muito bonita e bem executada. Entregues. Pareceu que Sheila e Tutu já estavam juntos há tempos. Foi uma química muito boa. Tutu tirou a Sheila da zona de conforto e ela seguiu, se entregou total.

As técnicas de dança a Sheila já tem todas. O que pegou foi o sapateado. Foi a única parte em que não houve equilíbrio, sincronia… entre o casal. De resto, foi perfeito. Nota 9

Lugui: Se por algum motivo a gente esperava o twist da troca de casais, a razão pra isso tava aqui: juntar a técnica subexplorada da Sheila com a inventividade do Tutu. Essa junção deu mais certo que as plásticas da Carla Perez. Os dois tiveram excelente execução nessa apresentação, com muito entrosamento e qualidade dos acabamentos, exceto na diferença entre o sapateado da Sheila pro do Tutu.

O problema é que aconteceu coisa demais em muito pouco tempo: foi pegação no dark room no começo, depois briga na mesa pra ver quem pega o sal e quem passa o azeite pro outro, depois fica feliz e começa sapatear sem que ninguém ouça o sapateado no meio da música alta e da histeria da plateia que parecia estar vendo o homem chegar na lua! De qualquer forma, o saldo foi mais do que positivo. Nota 9

Luiz: Se isso fosse caracterizado como jazz, seria bem melhor que contemporâneo, só trocar com a Jade. Muito arriscado colocar sapateado pra uma pessoa sem muita experiência com as técnicas das danças e realmente deixou a desejar. Perdeu na sincronia, os taps eram fora da hora, os braços não estavam sequer parecidos  e ficou visualmente feio.

Fora a parte do sapateado, o resto da dança foi muito bom. Sheila cresceu horrores com os comentários dos jurados, tão se expressando melhor, dança com os sentimentos e tá mais leve nos lifts. Sheila começou como ameaça, caiu no placar e agora tá voltando a crescer. Amém que ela ficou sem o Marcelo uma semana e a gente pode apreciar essa dança. Nota 9

Leo e Bárbara (Jazz Musical)

Leo
Imagem: Blad Meneghel/Divulgação

Vitu: Apesar do merchan do Dove Barro naquela pele, Leo foi excelente! Corretos do início ao fim, com direito a espacate do Leo e tudo. Pra homem, o espacate mal feito pode ser fatal para não continuar a coreografia, não é mesmo?! Sincronia entre o casal, contratempos ótimos, no compasso, encaixadinho na música, passos interligados, elementos coreográficos muito bons, ricos. E com um grand finale. A dupla teve química e arrasou no show. Nota 10

Lugui: A pessoa que fez o bronzeamento do Léo foi a mesma que pintou o Richarlyson de azul pra interpretar a Fera? Mirou no Mika e acertou no Donald Trump. Achei que ia começar bem errado, ainda mais quando juntou Léo e Bárbara achei que a ia começar a terceira guerra mundial entre o ego de cada um deles, pois são os dois que mais gostam de roubar cena em apresentação. Mas Bárbara veio em missão de paz e com bastante inteligência, escolhendo o ritmo perfeito pro Léo.

Com o jazz musical deu pra fingir que o Léo não é forçado, é só personagem, e que ele não tem passos extremamente mecanismos, é só o ritmo mesmo! A coreografia foi bem divertida e explorou o que Léo pode oferecer, com destaque pro ótimo movimento do braço com pegada de Bollywood. Eu só queria que tivesse encerrado com o tapete mágico voando, como na comissão de frente da Mocidade no Carnaval desse ano, voando pra longe com a chatice do Miggiorin. Nota 10

Luiz: Apresento a vocês o que é uma pessoa com bronzeamento artificial. Foi uma apresentação muito correta, animada e boa pra chamar o público pra acompanhar o programa. Léo é expansivo, exagerado e isso pe necessário nesse estilo de musicais. Tudo se encaixou e coube à apresentação.
A coreografia foi BEM simples, sem muitos passos difíceis, mas a execução foi impecável, talvez a melhor execução já apresentada no programa. Foi uma dança leve que deu gosto de assistir e o Léo soube conduzir a apresentação. Semana que vem a gente volta a falar mal do exagero dele. Nota 10

Considerações

Vitu: Foi um bom programa, com um nível bem alto e que só tende a melhorar. Acabou aquela história de que fica quem faz presepada. Os saldos positivos ficaram com Jade, Sheila e Leo. Aliás, injusta seria se a Sheila estivesse na zona de risco e o Mika não. O grande destaque do programa é o Paulo Victor, que tomara que volte como coreógrafo na segunda temporada (que estreia já no próximo mês de julho). Semana que vem vai ser uma eliminação difícil e talvez injusta. Vamos conferir!

Lugui: O nível do programa foi altíssimo e mostra que daqui pra frente não vai ter brincadeira, visto que só os melhores realmente sobraram. Além disso ficou muito claro como um bom professor faz toda diferença e já sinto pena da Jade e da Sheila por só terem sido contempladas com 1 semana de sorte. Se alguns têm azar, outros têm sorte e todos os caprichetes do casal Patê já podem voltar a respirar sem ajuda de aparelhos! Agora é só aguardar semana que vem, com uma eliminação pesada vindo por aí…

Luiz: Finalmente chegamos a parte do programa onde todos são bons e falar mal é meio complicado. Foi muito bacana ver a dinâmica da versão americana acontecendo no Brasil e sendo bem aplicada, mas é necessário trabalhar mais a escolha ou rotulação dos ritmos.

Semana que vêm precisa ser a redenção da Maytê. E mais uma vez, Sérgio Marone é mais desnecessário que óculos escuros pra cego. Já podem demitir na próxima temporada. Falando nela, cada vez mais ansioso pras próximas edições e por esse finzinho que ainda temos pela frente. Vida longa!

Surpresa!

Você pensou que ia se livrar dos comentários do @luguicosta sobre a Tânia Alves só porque ela foi eliminada? Ah, mas não mesmo… Separei o Momento Tânia Alves by Lugui pra gente rir mais um pouquinho.

Lugui: O que levou uma pessoa a ir vestida de pomba gira do agreste pra um programa infantil? Mesmo com 23 kg de botox a menos e uma peruca de Luis Caldas, Tânia já preferia fazer carão e achar que tá atuando ao invés de cantar/dançar: fez uma grande interpretação e até parou de dublar playback pra pegar lencinho e enxugar lágrima. Foi nesse dia que Tânia começou a ficar gagá e foi tão preocupante que a Xuxa perguntou duas vezes se tava tudo bem com ela. Com certeza não tava. As duas crianças são minha exata reação pra qualquer coisa que a Tânia Alves faça:

20170524_014813

ou

20170524_014925

É isso, pessoal! Tivemos um ótimo programa e que na semana que vem seja ainda melhor. Um beijo, um abraço e deixe seu comentário dizendo o que você achou das apresentações com os casais trocados!

Anúncios

12 comentários em “Dancing Brasil #8

  1. Alguns comentários pontuais para esta noite surpreendente !
    O Paulo Victor foi o nome da noite…basta ver o que ele fez com a Jade e o que aconteceu com a coitadinha da Maitê 😒
    Pena que os jurados não acharam o mesmo que achamos da linda dança do Tutu e da Sheila…e tiveram a pior nota da noite 😢
    E não falem mal dos meus queridinhos Mika e Leo kkkkk

    Curtido por 1 pessoa

    1. Paulo Victor é o grande destaque e surpresa do Dancing Brasil. Ok que o shipp com a Maytê ajudou muito na popularidade dele, mas ficou mais do que provado o grande bailarino/coreógrafo que ele. Uma pena o Tutu não ter o mesmo reconhecimento, porque acho ele ótimo!

      P.S.: Não falei mal do Mika e do Léo, falei verdades hahaha

      Curtir

  2. Então pra mim a melhor da noite foi a Bianca, a segunda melhor da noite foi Sheila Mello; a coreografia que mais gostei foi da Sheila, achei injusta as notas dela. E acho que foi a mais vibrante pela reação do público. Peguei implicância com o Mika, foi o que menos gostei. Tb achei muito interessante as pontuações da Garambone – sou fã dela, melhor Roxie de Chicago na minha humilde opinião de fã de musicais… E Tania Alves na Xuxa é momento Mastercard elevado ao intinito…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho que os jurados pegam um pouco mais no pé da Sheila por ela ser dançarina. Só isso explica essas notas tão subestimadas.

      Sobre o Mika, pra mim ele só é menos pior que Léo Chatorin, ele chegou até aqui arrastado pela ótima professora.

      Curtir

  3. As baixas de duplas desclassificadas fizeram o programa ficar longo demais. Agora por exemplo eu já queria estar vendo duplas boas tomando bota. No entanto, tenho que parabenizar quando algo é bom: aquele encerramento dos profissionais dançando e abraçando as estrelas foi legal. Meio piegas mas interessante. Achei até original… pela primeira vez alguma coisa nesse programa que não foi copiada do gringo (só falta vir agora o Luiz e falar que foi sim copiado! haha). Agora uma coisa que tem me incomodado bastante é essa obsessão da produção em tocar apenas músicas internacionais. Não tem problema socar umas músicas brasileiras ali no meio de vez em quando. Essa semana mesmo, nos hip hops… tinha música brasileira a dar com pau pra botar ali. E também, se os outros estilos foram dançados com músicas que não eram necessariamente apropriadas, por que os hip hops tiveram músicas de hip hop? Estranho, né?

    Mas bem, essa semana tenho que concordar muito com o Vitu quando ele diz: “Mika mais uma vez veio dando aquele migué, fingindo que dança”. Concordo demaaaaaais. Mika é um miguezeiro de primeira e aquela dancinha lá foi tão suave e repleta de falta de ataques. O break no chão foi VA de primeira qualidade. O Luiz apropriadamente disse que “a apresentação começou com um teatrinho de luta e eu lutei muito pra conseguir gostar dessa dança”. Essa é minha sensação ao assistir esse programa: luto muito pra gostar. Vejo pq o horário permite e pq a zoeira never ends!

    Eu não sei qual a dança da Bianca que vcs assistiram! Achei tudo muito ruim! E ela deixou a desejar sim, viu Luiz? Ela parecia uma idiota tentando acompanhar o pique das outras dançarinas. Achei que nesta semana que vimos a paquita cansada que o Lugui falou na semana passada. E o Luzi falou outra coisa muito oportuna: botar ela pra dançar uma música que fala de orgulho negro foi pedir cacetada! Não conheço muito o trabalho da Beyonce – aliás de nenhuma dessas grandes divas – portanto não saberia que o truqueiro Marcelo havia copiado coreografia! Mas não me surpreende em nada. E se não conheço muito Beyonce, uma coisa eu sei: ela fala mesmo de orgulho negro, feminismo, etc. Engraçado que assistindo a apresentação eu no ato pensei: ela teria se saído melhor dançando uma música da Pink. E agora em retrospecto vejo que teria sido mesmo!

    Amei demais a apresentação da Jade. Finalmente ela dançou e parece que não teve medo de ser uma mulher sensual. Quem deve ter ficado P da vida foi o professor dela pois o Paulo meio que mostrou que ele não sabe ensinar.

    A dança da Maytê, o Lugui me quebra falando de uma “Maytê Alves” que faz carão de diva e crê na personagem. Huahauha foi exatamente. Ela entrou lá pronta pra botar fogo no telhado e quem se queimou foi ela. Culpa dela ou do fessor?

    A dança da Sheila foi trash. Quem curtiu, desculpa ae. Mas foi o que o Lugui disse: pegação / briga pra passar sal e azeite / sapateado que não se escuta por música alta e aí, o pior: plateia histérica achando que viu o homem chegar na lua (em tempos atuais, Marte, né?). Isso mostra o quanto o público brasileiro engole qualquer porcaria e acha lindo. E mostra tb como o tal Tutu é surtado e constrói coreografias que ELE quer dançar, e não que vá beneficiar a estrela. Não se dá sapateado pra quem não sabe sapatear. A Sheila parecia uma besta tentando copiar ele. E ainda parecia velha e sem fôlego do lado do mocinho saltitante. Só por esse motivo ele merecia uma advertência. O jurado Paulo até deu, mas faltou uma alfinetada pra ser satisfatória. Ele merecia uma chamada seguida de “amor…” pela Fernanda, igual ela fez com o sem noção do Weskley.

    Agora, palmas pros jurados de Pilotando por sambar no bronze do Chato Miggiorin:

    “Apesar do merchan do Dove Barro naquela pele, Leo foi excelente!”

    “A pessoa que fez o bronzeamento do Léo foi a mesma que pintou o Richarlyson de azul pra interpretar a Fera? Mirou no Mika e acertou no Donald Trump.”

    “Apresento a vocês o que é uma pessoa com bronzeamento artificial.”

    hahahahaha! Tava foda mesmo! Mas… que rufem os tambores… acho que via chover: eu gostei da apresentação do Leo. AUEHAUHEUAEHAUEHUHAE! Pra tudo tem uma primeira vez na vida, né? Mas caricatura tem que dançar com música de desenho animado mesmo. E aqueles giros e saltos de gazela caíram muito bem pra ele. Aquela Barbara é muito esperta e viva – às vezes. Aliás, o que eu mais gosto nessa dançarina é o como ela se transforma: nos ensaios ela parece uma monstrinha, no palco ela tá sempre bonita. Se não copiasse tanto e não fosse “ególatra”, eu até a seguiria nas redes sociais.

    E já que tô falando da apresentação do Chato, lhes apresento a melhor pérola Luguiesca da semana:

    “Eu só queria que tivesse encerrado com o tapete mágico voando, como na comissão de frente da Mocidade no Carnaval desse ano, voando pra longe com a chatice do Miggiorin.”
    – E de quebra deixando ele junto com a chatice sem caminho de volta, né? Hahah!

    E o bônus dessa semana foi impagável! Pensar que Tania Alves teve carreira no exterior é assombro. Imagina a senhora slowquiquiquiqui falando inglês? AHahahhahaha! E hoje ela pode estar esticada mas feia sempre foi. Senhoras e senhores: nos apresentaram hoje a verdadeira Raymunda!

    E Lugui, você que é um rapaz cheio de recursos, pode por favor ver se você encontra uma foto que explicaria o que seria “cara de viado que viu katingelê”? E não me falem que é músiquinha de bichinhos e portanto é veado. Eu bem ouvi a pomba gira avermelhada, mesmo com aquele audio podre, falando vIado.

    Curtir

  4. Bom, Pra mim o destaque foi a Jade e o Paulo. que aula de entrega, fluidez e coreografia perfeita, me surpreendi com ela. torço pela Maytê mas tenho que reconhecer que a Jade tem material necessario pra ser campeâ do dancing.

    Curtir

    1. Com ctz Henrique…a dança deles foi absurda…
      como um dos nossos blogueiros disse…se eu fosse a Jade entrava com um mandado de segurança para trocar de coreógrafo kkkkk

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s